Teimosia de Dorival com Endrick na Copa América irrita Calçade: “Para colocar aos 85, nem leva”

Insistência do técnico da Seleção Brasileira em não colocar camisa 9 do Palmeiras de titular nos EUA deixa imprensa esportiva perplexa

Endrick não entra por quê?


Definitivamente, Endrick não caiu nas graças de Dorival Júnior na Seleção Brasileira. Desde que assumiu o cargo, o técnico jamais colocou o camisa 9 do Palmeiras como titular da Amarelinha. Na Copa América, a realidade não mudou.


ReadyNow

Nos duelos contra Costa Rica, Paraguai e Colômbia, Endrick entrou sempre no segundo tempo, o que deixou a torcida alviverde revoltada. No empate contra a Colômbia, na última terça-feira (2), então, Dorival só foi colocar o centroavante aos 41 minutos da etapa final.

Nas entrevistas coletivas, o discurso do técnico é parecido: prega paciência com o atacante do Palmeiras e já vendido ao Real Madrid desde 2023. A explicação não convenceu aos jornalistas William Tavares e Paulo Calçade, dos canais Disney.

Se é para levar o Endrick e colocar aos 85 minutos, não leva. Não precisa levar”, criticou Calçade no começo de sua avaliação do trabalho de Dorival na primeira fase da Copa América. O Brasil se classificou às quartas de final da Copa América, mas com a segunda melhor campanha do Grupo D, atrás exatamente da Colômbia.


Com a evolução do comércio eletrônico, PayRetailers inova para revolucionar o mercado de pagamentos - Startups
Avante NetWork - Casino Affiliate Platform | LinkedIn

iGaming & Gaming International Expo - IGI

Contradição de Dorival

Em seguida, foi a vez de Tavares usar palavras mais duras para ir mais afundo em sua crítica ao técnico da Seleção Brasileira. Para ele, o discurso do treinador ex-São Paulo não condiz com a circunstância que Endrick é colocado em campo.

“Dorival coloca Endrick no primeiro jogo aos 26 minutos (do 2⁰ tempo), no segundo jogo aos 33 e no terceiro aos 40. Aí fala: ‘vamos ter calma, vamos devagar com o Endrick’. Só que aí ele coloca o Endrick aos 40 minutos precisando resolver o jogo”, reprovou William Tavares.

A estratégia de Dorival na Seleção Brasileira com um sistema sem um centroavante de referência não tem surtido efeito ao longo da Copa América. Após uma vitória sobre a limitada seleção do Paraguai, o jogo contra a Colômbia mostrou uma equipe sem criatividade e sem recursos.

Pode ser tarde demais, Dorival!

Primeiramente por não ter um responsável para criar as jogadas para municiar o ataque. Finalmente, Dorival falha em manter o craque do último Brasileirão Série A no banco e quem decidiu em duelos complicados contra Espanha (no Santiago Bernabéu) e Inglaterra (Wembley).

Sua teimosia pode custar caro para seu futuro à frente da Seleção. O Bolavip Brasil apurou que, a depender dos desempenhos na Copa América – em especial numa eliminação precoce e com más atuações -, a CBF não descarta reavaliar o trabalho de Dorival nas próximas semanas.

A próxima oportunidade de Dorival ocorre no próximo sábado (7), às 22h (horário de Brasília), em Las Vegas, contra a forte seleção do Uruguai. A Celeste foi primeira colocada do Grupo C com 100% de aproveitamento. O Bolavip Brasil pode te ajudar com seus palpites em toda a competição.

[[{“value”:”Insistência do técnico da Seleção Brasileira em não colocar camisa 9 do Palmeiras de titular nos EUA deixa imprensa esportiva perplexa
Endrick não entra por quê?

Definitivamente, Endrick não caiu nas graças de Dorival Júnior na Seleção Brasileira. Desde que assumiu o cargo, o técnico jamais colocou o camisa 9 do Palmeiras como titular da Amarelinha. Na Copa América, a realidade não mudou.

Nos duelos contra Costa Rica, Paraguai e Colômbia, Endrick entrou sempre no segundo tempo, o que deixou a torcida alviverde revoltada. No empate contra a Colômbia, na última terça-feira (2), então, Dorival só foi colocar o centroavante aos 41 minutos da etapa final.

Nas entrevistas coletivas, o discurso do técnico é parecido: prega paciência com o atacante do Palmeiras e já vendido ao Real Madrid desde 2023. A explicação não convenceu aos jornalistas William Tavares e Paulo Calçade, dos canais Disney.

“Se é para levar o Endrick e colocar aos 85 minutos, não leva. Não precisa levar”, criticou Calçade no começo de sua avaliação do trabalho de Dorival na primeira fase da Copa América. O Brasil se classificou às quartas de final da Copa América, mas com a segunda melhor campanha do Grupo D, atrás exatamente da Colômbia.

Contradição de Dorival

Em seguida, foi a vez de Tavares usar palavras mais duras para ir mais afundo em sua crítica ao técnico da Seleção Brasileira. Para ele, o discurso do treinador ex-São Paulo não condiz com a circunstância que Endrick é colocado em campo.

“Dorival coloca Endrick no primeiro jogo aos 26 minutos (do 2⁰ tempo), no segundo jogo aos 33 e no terceiro aos 40. Aí fala: ‘vamos ter calma, vamos devagar com o Endrick’. Só que aí ele coloca o Endrick aos 40 minutos precisando resolver o jogo”, reprovou William Tavares.

A estratégia de Dorival na Seleção Brasileira com um sistema sem um centroavante de referência não tem surtido efeito ao longo da Copa América. Após uma vitória sobre a limitada seleção do Paraguai, o jogo contra a Colômbia mostrou uma equipe sem criatividade e sem recursos.

Pode ser tarde demais, Dorival!

Primeiramente por não ter um responsável para criar as jogadas para municiar o ataque. Finalmente, Dorival falha em manter o craque do último Brasileirão Série A no banco e quem decidiu em duelos complicados contra Espanha (no Santiago Bernabéu) e Inglaterra (Wembley).

Sua teimosia pode custar caro para seu futuro à frente da Seleção. O Bolavip Brasil apurou que, a depender dos desempenhos na Copa América – em especial numa eliminação precoce e com más atuações -, a CBF não descarta reavaliar o trabalho de Dorival nas próximas semanas.

A próxima oportunidade de Dorival ocorre no próximo sábado (7), às 22h (horário de Brasília), em Las Vegas, contra a forte seleção do Uruguai. A Celeste foi primeira colocada do Grupo C com 100% de aproveitamento. O Bolavip Brasil pode te ajudar com seus palpites em toda a competição.”}]]