Arrascaeta e outros geram influência em ‘sofrimento’ do Flamengo no mercado da bola

Rubro-Negro está focado em Léo Ortiz, mas outras situações não vem evoluindo e a falta de atitude da diretoria chamou atenção

Flamengo no mercado da bola


Até o momento, o Flamengo fechou as contratações de De la Cruz e Matías Viña. A dupla se junta ao já estrelado elenco do Clube Carioca, que conta com jogadores como Arrascaeta, Pedro, Gabigol e Bruno Henrique.


Ainda assim, o presidente Rodolfo Landim e o vice-presidente Marcos Braz seguem atentos ao mercado. O grande foco não é segredo para ninguém: as negociações com o Red Bull Bragantino para contratar o zagueiro Léo Ortiz continuam.

No entanto, outros nomes vêm sendo especulados, mas nenhuma outra negociação impactante evoluiu. Isso vem deixando boa parte da Nação encanada e analisando o motivo de outras situações não se desenvolverem.

Acabou vindo à tona um dos motivos sobre algumas transações emperrarem e também a razão para que a direção não tome nenhuma atitude. Mesmo que a vontade da torcida seja que outros jogadores cheguem ao Mais Querido.

Dificuldade em convencer reforços

De acordo com o jornalista Igor Siqueira, do UOL Esporte, a cúpula flamenguista vê uma dificuldade muito grande em convencer jogadores de “primeira linha” em aceitar defender o Rubro-Negro Carioca em 2024.

Isso porque a informação é que é complicado argumentar para que eles possam ser as segundas ou terceiras opções, sendo que existe a possibilidade deles não atuarem com frequência. Tite possui um elenco muito estrelado com alguns dos atletas já citados.

O Flamengo hoje tem muitas opções, principalmente no setor ofensivo. Por exemplo, Bruno Henrique e Gabigol são reservas hoje, mas provavelmente seriam titulares de qualquer outro time do futebol brasileiro.

No setor de criação, o nome de Igor Coronado voltou a ser especulado. No entanto, Arrascaeta e De la Cruz têm status de titulares absolutos no meio-campo do Malvadão. Situação que pode complicar na busca por reforços.

Direção não deve fazer novas movimentações

Ainda segundo Siqueira, a direção entende que um número elevado de atletas pode complicar a condução do trabalho. Essa opção se dá mesmo contando com perdas de jogadores em convocações para suas seleções.

Tite gosta de ter dois jogadores fortes por posição. Há o entendimento que mais do que isso poderia dificultar a gestão do grupo. A diretoria não deve então fazer contratações para que o plantel seja o suficiente para montar “três times”.

Se essa tônica se mantiver, o Mengão não deve fazer novas investidas no mercado da bola e pode focar apenas na negociação com Léo Ortiz. Claro, sempre há a possibilidade de aparecer uma oportunidade boa. O Clube segue atento!

Flamengo X Botafogo: que horas vai ser?

Nesta quarta-feira (7), o Mais Querido tem o Clássico da Rivalidade, contra o Botafogo. A partida está marcada para acontecer no Maracanã, às 21h30 (horário de Brasília). Uma provável escalação tem: Rossi, Varela, Fabrício Bruno, Léo Pereira e Ayrton Lucas; Erick Pulgar, Gerson, De la Cruz e Arrascaeta; Everton Cebolinha e Pedro.

O que a Nação pensa disso

[[{“value”:”Rubro-Negro está focado em Léo Ortiz, mas outras situações não vem evoluindo e a falta de atitude da diretoria chamou atenção
Flamengo no mercado da bola

Até o momento, o Flamengo fechou as contratações de De la Cruz e Matías Viña. A dupla se junta ao já estrelado elenco do Clube Carioca, que conta com jogadores como Arrascaeta, Pedro, Gabigol e Bruno Henrique.

Ainda assim, o presidente Rodolfo Landim e o vice-presidente Marcos Braz seguem atentos ao mercado. O grande foco não é segredo para ninguém: as negociações com o Red Bull Bragantino para contratar o zagueiro Léo Ortiz continuam.

No entanto, outros nomes vêm sendo especulados, mas nenhuma outra negociação impactante evoluiu. Isso vem deixando boa parte da Nação encanada e analisando o motivo de outras situações não se desenvolverem.

Acabou vindo à tona um dos motivos sobre algumas transações emperrarem e também a razão para que a direção não tome nenhuma atitude. Mesmo que a vontade da torcida seja que outros jogadores cheguem ao Mais Querido.

Dificuldade em convencer reforços

De acordo com o jornalista Igor Siqueira, do UOL Esporte, a cúpula flamenguista vê uma dificuldade muito grande em convencer jogadores de “primeira linha” em aceitar defender o Rubro-Negro Carioca em 2024.

Isso porque a informação é que é complicado argumentar para que eles possam ser as segundas ou terceiras opções, sendo que existe a possibilidade deles não atuarem com frequência. Tite possui um elenco muito estrelado com alguns dos atletas já citados.

O Flamengo hoje tem muitas opções, principalmente no setor ofensivo. Por exemplo, Bruno Henrique e Gabigol são reservas hoje, mas provavelmente seriam titulares de qualquer outro time do futebol brasileiro.

No setor de criação, o nome de Igor Coronado voltou a ser especulado. No entanto, Arrascaeta e De la Cruz têm status de titulares absolutos no meio-campo do Malvadão. Situação que pode complicar na busca por reforços.

Direção não deve fazer novas movimentações

Ainda segundo Siqueira, a direção entende que um número elevado de atletas pode complicar a condução do trabalho. Essa opção se dá mesmo contando com perdas de jogadores em convocações para suas seleções.

Tite gosta de ter dois jogadores fortes por posição. Há o entendimento que mais do que isso poderia dificultar a gestão do grupo. A diretoria não deve então fazer contratações para que o plantel seja o suficiente para montar “três times”.

Se essa tônica se mantiver, o Mengão não deve fazer novas investidas no mercado da bola e pode focar apenas na negociação com Léo Ortiz. Claro, sempre há a possibilidade de aparecer uma oportunidade boa. O Clube segue atento!

Flamengo X Botafogo: que horas vai ser?

Nesta quarta-feira (7), o Mais Querido tem o Clássico da Rivalidade, contra o Botafogo. A partida está marcada para acontecer no Maracanã, às 21h30 (horário de Brasília). Uma provável escalação tem: Rossi, Varela, Fabrício Bruno, Léo Pereira e Ayrton Lucas; Erick Pulgar, Gerson, De la Cruz e Arrascaeta; Everton Cebolinha e Pedro.

O que a Nação pensa disso”}]]