Diniz dá dura ao vivo e Mário Bittencourt e situação dá o que falar no Fluminense: “Eu não gosto”

Diniz pediu para que o presidente reveja a sua situação sobre o assunto nos próximos dias


Buscando fazer uma temporada parecida e até melhor que a de 2023, onde conquistou o Campeonato Carioca, a Copa Libertadores e acabou sendo vice-campeão do Mundial de Clubes, o Fluminense foi ao mercado e fechou a contratação de grandes jogadores para o ano de 2024


Até o momento, o Fluminense fechou as contratações do goleiro Felipe Alves, do zagueiro Antônio Carlos, dos meias Renato Augusto, David Terans e Gabriel Pires, além dos atacantes Douglas Costa e Jan Lucimi. E Mário Bittencourt quer mais nas próximas semanas.

Isso porque nos últimos dias, de acordo ccom apuração do jornalista Jorge Nicola, a diretoria do Flu fez uma sondagem para entender melhor a situação do meia Patrick, que perdeu espaço na equipe comandada por Luiz Felipe Scolari, podendo ser negociado pelo Galo.

O volante tem contrato com o time mineiro até o final do ano e não seria complicada a sua chegada nas Laranjeira. O que dificulta a negociação neste momento é que o Galo só libera o jogador de maneira definitiva e como o Flu tem nomes para o setor, as tratativas até o fechamento da matéria não evoluiram.

Outro fator que pode dificiltar a vinda do meio-campista é Fernando Diniz. Isso porque no último domingo (4), o técnico admitiu que prefere trabalhar com um elenco mais enxuto. O começo de ano foi importante, mas, na sequência, o grupo não poderá ser tão numeroso.

Não gosto de elenco muito cheio. Costumeiramente, os jogadores machucam muito pouco. Num determinado momento, a temporada fica menos densa e tem jogador importante que não é relacionado”, disse o treinador que continuou.

“No começo da temporada tem sido legal, importante. Os meninos foram fundamentais, o trabalho do Marcão e da comissão, do Cadu. Eu gosto de ter dois times equilibrados, mas não um elenco tão cheio como temos hoje – disse.

A declaração foi dada após Após empate de 2 a 2 com o Boavista no Elcyr Resende, pela sexta rodada da Taça Guanabara. Diniz no entanto entende a diretoria e inclusive elogiou o trabalho de Mário Bittencourt no mercado até aqui,

Um dos motivos que fez o Fluminense ser agressivo nesta janela de transferências é a Copa América. A competição mais cobiçada pelas seleções da América do sul terá a duração de 1 mês e o Flu, por estar em evidência no cenário nacional pode perder vários jogadores para Dorival Júnior, hoje técnico da Seleção.

A Copa América acontecerá dos dias 4 de junho a 4 de julho durante o primeiro turno do Brasileirão que nesta temporada não irá parar. Por conta disso, alguns atletas pilares de Diniz poderá ficar fora de combate pelo Fluminense até 10 rodadas.

[[{“value”:”Diniz pediu para que o presidente reveja a sua situação sobre o assunto nos próximos dias
Buscando fazer uma temporada parecida e até melhor que a de 2023, onde conquistou o Campeonato Carioca, a Copa Libertadores e acabou sendo vice-campeão do Mundial de Clubes, o Fluminense foi ao mercado e fechou a contratação de grandes jogadores para o ano de 2024

Até o momento, o Fluminense fechou as contratações do goleiro Felipe Alves, do zagueiro Antônio Carlos, dos meias Renato Augusto, David Terans e Gabriel Pires, além dos atacantes Douglas Costa e Jan Lucimi. E Mário Bittencourt quer mais nas próximas semanas.

Isso porque nos últimos dias, de acordo ccom apuração do jornalista Jorge Nicola, a diretoria do Flu fez uma sondagem para entender melhor a situação do meia Patrick, que perdeu espaço na equipe comandada por Luiz Felipe Scolari, podendo ser negociado pelo Galo.

O volante tem contrato com o time mineiro até o final do ano e não seria complicada a sua chegada nas Laranjeira. O que dificulta a negociação neste momento é que o Galo só libera o jogador de maneira definitiva e como o Flu tem nomes para o setor, as tratativas até o fechamento da matéria não evoluiram.

Outro fator que pode dificiltar a vinda do meio-campista é Fernando Diniz. Isso porque no último domingo (4), o técnico admitiu que prefere trabalhar com um elenco mais enxuto. O começo de ano foi importante, mas, na sequência, o grupo não poderá ser tão numeroso.

Não gosto de elenco muito cheio. Costumeiramente, os jogadores machucam muito pouco. Num determinado momento, a temporada fica menos densa e tem jogador importante que não é relacionado”, disse o treinador que continuou.

“No começo da temporada tem sido legal, importante. Os meninos foram fundamentais, o trabalho do Marcão e da comissão, do Cadu. Eu gosto de ter dois times equilibrados, mas não um elenco tão cheio como temos hoje – disse.

A declaração foi dada após Após empate de 2 a 2 com o Boavista no Elcyr Resende, pela sexta rodada da Taça Guanabara. Diniz no entanto entende a diretoria e inclusive elogiou o trabalho de Mário Bittencourt no mercado até aqui,

Um dos motivos que fez o Fluminense ser agressivo nesta janela de transferências é a Copa América. A competição mais cobiçada pelas seleções da América do sul terá a duração de 1 mês e o Flu, por estar em evidência no cenário nacional pode perder vários jogadores para Dorival Júnior, hoje técnico da Seleção.

A Copa América acontecerá dos dias 4 de junho a 4 de julho durante o primeiro turno do Brasileirão que nesta temporada não irá parar. Por conta disso, alguns atletas pilares de Diniz poderá ficar fora de combate pelo Fluminense até 10 rodadas.”}]]