EXCLUSIVO: Os planos da NFL para o Brasil

No último dia 11 de fevereiro, as atenções estavam todas voltadas para Patrick Mahomes e o bicampeonato do Kansas City Chiefs no Super Bowl. A vitória do time apoiado pela cantora Taylor Swift foi acompanhada por milhões de pessoas em todo o mundo. Enquanto o jogo contra o San Francisco 49ers se arrastava para uma emocionante decisão na prorrogação, mais de 9 mil pessoas curtiam a partida decisiva da temporada da NFL num evento em São Paulo.


Pela segunda vez seguida, a capital paulista abrigou o NFL in Brasa, evento aberto ao público que conta com atrações ligadas à liga de futebol americano. Com praticamente o dobro de fãs em relação a 2023, a iniciativa, dessa vez, foi acompanhada por executivos da própria NFL, que vieram ao Brasil para entender um pouco mais sobre a relação do fã com a modalidade.


A presença de executivos da liga, aliás, tem sido recorrente no país desde que São Paulo foi oficializada como uma das cidades fora dos Estados Unidos que abrigará uma partida da NFL. Em 2024, um jogo da temporada regular acontecerá na Neo Química Arena, estádio do Corinthians.

“Em Dallas, quando houve a reunião dos donos dos times, a gente ouviu também que o NFL in Brasa acabou sendo um dos fatores que ajudou a convencer a NFL que realmente já tinha energia para realizar o jogo aqui. Afinal, já tinham 5.000 pessoas pagando um ingresso que não é barato para ver apenas a partida pela televisão. Não é só isso, mas tem dados de audiência, redes sociais e tudo mais”, afirmou Pedro Rego Monteiro, fundador da Effect Sport, agência que cuida dos negócios da NFL no Brasil.

Monteiro é o convidado do Maquinistas, o podcast da Máquina do Esporte, que vai ao ar nesta terça-feira, dia 13 de fevereiro. O executivo conversou com Erich Beting e Gheorge Rodriguez sobre o planejamento da chegada da NFL no Brasil com um jogo regular.

NFL segue os passos da NBA

A expansão que começou no digital passou a ganhar novos contornos com o aumento da base de fãs. Aos poucos, a NFL foi ampliando o alcance no mercado brasileiro, seguindo o caminho que foi “aberto” anteriormente pela NBA.

Enquanto trabalhava com foco no digital, a liga expandia a atuação em outros dois pilares. Direitos de mídia e comercial. A Effect foi quem negociou o acordo de TV aberta com a RedeTV!, fechado em 2022. E, agora, também é quem cuida dos patrocínios da liga no país.

“Com números maiores, a gente passou para as próximas etapas. Foram anos de construção de base com muito digital e ações pontuais sem serem abertas ao público. Quando vimos que estava com muita sustância, buscamos um parceiro de TV aberta. No ano passado, vimos que já tínhamos uma musculatura para fazer um evento aberto para o público mais parrudo, que foi o NFL in Brasa”.

Atualmente, a liga conta com quatro patrocinadores regionais exclusivos: XP, Perdigão, Pizza Hut e KFC. Com a expectativa de ter o primeiro jogo no Brasil, a tendência é de que novas marcas serão adicionadas à lista de parceiros da liga.

“A gente acredita que o ângulo da curva de crescimento vai se acentuar. A gente tem números que mostram que já temos mais de 35 milhões de fãs no Brasil. O flag football ter virado esporte olímpico é uma aposta da NFL para ser mais conhecida internacionalmente. O esporte quando você conecta com ele, é muito difícil de se desconectar. Nossa ideia também é expandir para escolas, aumentar o alcance com audiência…”, finalizou.

O post EXCLUSIVO: Os planos da NFL para o Brasil apareceu primeiro em Máquina do Esporte.

Pedro Rego Monteiro, sócio da Effect Sport, agência da NFL no Brasil, detalha como a liga prepara a realização do primeiro jogo no país
O post EXCLUSIVO: Os planos da NFL para o Brasil apareceu primeiro em Máquina do Esporte.