Opinião: Escolha de árbitra ‘polêmica’ para clássico do Santos escancara falta de organização do futebol brasileiro

Edina Alves Batista não marcou dois pênaltis para o Santos em jogo contra o São Paulo, em 2022. Federação Paulista de Futebol reconheceu o erro na época

A nota emitida pelo Santos


O Santos emitiu uma nota na noite desta segunda-feira, expressando sua preocupação com a escolha da árbitra Edina Alves Batista para apitar o clássico contra o São Paulo, no Morumbis, pelo Campeonato Paulista.


O clube pediu “retidão e imparcialidade” da equipe de arbitragem, destacando os erros cometidos por Edina em jogos anteriores, especialmente no confronto entre Santos e São Paulo em 2022.

Na nota, o Santos respeitou a decisão da Comissão de Arbitragem da Federação Paulista de Futebol, mas expressou a expectativa de que os erros cometidos pela árbitra no passado tenham servido de aprendizado e reflexão para um aprimoramento em seu nível técnico.

O clube salientou a importância de conduzir o jogo de forma justa e imparcial, priorizando o desempenho dos atletas em campo.

Os erros da partida em 2022

O histórico da árbitra no confronto entre Santos e São Paulo em 2022 foi mencionado na nota, onde o clube reclamou de erros decisivos, incluindo a não marcação de pênaltis em lances envolvendo jogadores do time santista.

O Santos destacou estar em fase de reconstrução de sua história e enfatizou que não busca ser beneficiado, mas sim exigir retidão e imparcialidade para evitar prejuízos.

A decisão de escalá-la para o clássico gerou críticas por parte do Peixe. No meu entender, esse tipo de ação evidencia a falta de organização e transparência no futebol brasileiro, que enfrenta uma das maiores crises de sua história.

A escolha da arbitragem para jogos de alto impacto como esse suscita questionamentos sobre os critérios adotados e a confiança no processo de seleção dos árbitros.

O clássico contra o São Paulo

Edina Alves Batista será acompanhada pelos assistentes Marcelo Carvalho Van Gasse e Fabrini Bevilaqua Costa, com Luiz Flávio de Oliveira como quarto árbitro e Daiane Muniz dos Santos no VAR.

O clássico entre Santos e São Paulo está agendado para às 19h30 (horário de Brasília), desta quarta-feira (14), no Morumbis, e é válido pela oitava rodada do Campeonato Paulista.

O confronto promete ser marcado não apenas pelo embate entre as equipes, mas também pela atenção voltada à atuação da arbitragem.

A temporada de 2024 promete ser desafiadora ao Alvinegro Praiano. Além da disputa do Campeonato Paulista, o Peixe vai jogar pela primeira vez na sua história, o Campeonato Brasileiro da Série B, sonhando com o retorno para a elite do futebol brasileiro.

O que dizem os torcedores

[[{“value”:”Edina Alves Batista não marcou dois pênaltis para o Santos em jogo contra o São Paulo, em 2022. Federação Paulista de Futebol reconheceu o erro na época
A nota emitida pelo Santos

O Santos emitiu uma nota na noite desta segunda-feira, expressando sua preocupação com a escolha da árbitra Edina Alves Batista para apitar o clássico contra o São Paulo, no Morumbis, pelo Campeonato Paulista.

O clube pediu “retidão e imparcialidade” da equipe de arbitragem, destacando os erros cometidos por Edina em jogos anteriores, especialmente no confronto entre Santos e São Paulo em 2022.

Na nota, o Santos respeitou a decisão da Comissão de Arbitragem da Federação Paulista de Futebol, mas expressou a expectativa de que os erros cometidos pela árbitra no passado tenham servido de aprendizado e reflexão para um aprimoramento em seu nível técnico.

O clube salientou a importância de conduzir o jogo de forma justa e imparcial, priorizando o desempenho dos atletas em campo.

Os erros da partida em 2022

O histórico da árbitra no confronto entre Santos e São Paulo em 2022 foi mencionado na nota, onde o clube reclamou de erros decisivos, incluindo a não marcação de pênaltis em lances envolvendo jogadores do time santista.

O Santos destacou estar em fase de reconstrução de sua história e enfatizou que não busca ser beneficiado, mas sim exigir retidão e imparcialidade para evitar prejuízos.

A decisão de escalá-la para o clássico gerou críticas por parte do Peixe. No meu entender, esse tipo de ação evidencia a falta de organização e transparência no futebol brasileiro, que enfrenta uma das maiores crises de sua história.

A escolha da arbitragem para jogos de alto impacto como esse suscita questionamentos sobre os critérios adotados e a confiança no processo de seleção dos árbitros.

O clássico contra o São Paulo

Edina Alves Batista será acompanhada pelos assistentes Marcelo Carvalho Van Gasse e Fabrini Bevilaqua Costa, com Luiz Flávio de Oliveira como quarto árbitro e Daiane Muniz dos Santos no VAR.

O clássico entre Santos e São Paulo está agendado para às 19h30 (horário de Brasília), desta quarta-feira (14), no Morumbis, e é válido pela oitava rodada do Campeonato Paulista.

O confronto promete ser marcado não apenas pelo embate entre as equipes, mas também pela atenção voltada à atuação da arbitragem.

A temporada de 2024 promete ser desafiadora ao Alvinegro Praiano. Além da disputa do Campeonato Paulista, o Peixe vai jogar pela primeira vez na sua história, o Campeonato Brasileiro da Série B, sonhando com o retorno para a elite do futebol brasileiro.

O que dizem os torcedores”}]]