Copa América: Dorival Júnior chora em homenagem ao tio Dudu, ídolo do Palmeiras: “Uma referência”

Seleção Brasileira goleou o Paraguai na noite que um dos maiores nomes da história do Alviverde Paulista acabou falecendo

Vitória em noite de tristeza


A Seleção Brasileira conseguiu sua primeira vitória na Copa América ao golear o Paraguai por 4 a 1, na noite da última sexta-feira (28). Endrick, que deixou o Palmeiras, entrou em campo, enquanto Gustavo Gómez, esteve no banco dos paraguaios.


ReadyNow

Com isso, a Seleção segue em segundo lugar, agora com quatro pontos, e tem chances de classificação. Caso você queira apostar no Brasil na Copa América, o Bolavip Brasil traz todos os conteúdos que podem te ajudar.

Porém, na noite da vitória, uma notícia muito triste mexeu com o futebol brasileiro, e principalmente com os torcedores do Verdão. Ídolo do Clube Paulista, o ex-jogador Dudu faleceu aos 84 anos em consequência de infecção abdominal, conforme informações do Alviverde.

Treinador se emociona

Inclusive, o ídolo da Academia de Futebol era tio do atual treinador do Brasil, Dorival Júnior. O comandante não escondeu a emoção e acabou chorando na coletiva, após o jogo, ao lembrar dele.


Com a evolução do comércio eletrônico, PayRetailers inova para revolucionar o mercado de pagamentos - Startups
Avante NetWork - Casino Affiliate Platform | LinkedIn

iGaming & Gaming International Expo - IGI

Dudu para mim foi uma referência não só como atleta profissional, como treinador logo depois, mas acima de tudo e principalmente como ser humano. Sempre foi uma pessoa que se preocupou com todos à sua volta e muito pouco com ele próprio. Sempre foi um exemplo para mim, sempre procurei seguir os passos orientados e muito por ele. Um cara que vestiu três camisas na vida: Ferroviária, Palmeiras e Seleção”, iniciou.

O técnico foi além: “Para mim representa muito porque, além da bela história que teve, foi um ser humano que talvez não tenha conhecido igual. Um segundo pai para mim, uma pessoa que praticamente me orientou em todos os momentos da vida, já que segui a mesma profissão que a dele. Tenho certeza que será muito bem recebido pela pessoa que era, muito espiritualizada, fará uma passagem muito tranquila de plano. Na última vez que estive com ele, há uns 20, 30 dias, já percebi que talvez fosse a última”, completou.

Fica a saudade

Olegário Tolói de Oliveira, mais conhecido como Dudu, foi um dos grandes nomes do Palmeiras entre as décadas de 1960 e 1970. Como jogador, sua passagem durou entre 1964 e 1976, mas chegou a ser treinador da equipe depois de sua aposentadoria, conquistando o Paulistão de 1976.

No período como atleta com a camisa do Maior Campeão Nacional, entrou em campo em 615 jogos, marcando 29 gols. Ele conquistou o Torneio Rio-São Paulo de 1965, o Paulistão de 1966, 1972 e 1974 e o Brasileirão de 1967 (Torneio Roberto Gomes Pedrosa), 1967 (Taça Brasil), 1969, 1972 e 1973.

Reações da torcida sobre a partida do ídolo

[[{“value”:”Seleção Brasileira goleou o Paraguai na noite que um dos maiores nomes da história do Alviverde Paulista acabou falecendo
Vitória em noite de tristeza

A Seleção Brasileira conseguiu sua primeira vitória na Copa América ao golear o Paraguai por 4 a 1, na noite da última sexta-feira (28). Endrick, que deixou o Palmeiras, entrou em campo, enquanto Gustavo Gómez, esteve no banco dos paraguaios.

Com isso, a Seleção segue em segundo lugar, agora com quatro pontos, e tem chances de classificação. Caso você queira apostar no Brasil na Copa América, o Bolavip Brasil traz todos os conteúdos que podem te ajudar.

Porém, na noite da vitória, uma notícia muito triste mexeu com o futebol brasileiro, e principalmente com os torcedores do Verdão. Ídolo do Clube Paulista, o ex-jogador Dudu faleceu aos 84 anos em consequência de infecção abdominal, conforme informações do Alviverde.

Treinador se emociona

Inclusive, o ídolo da Academia de Futebol era tio do atual treinador do Brasil, Dorival Júnior. O comandante não escondeu a emoção e acabou chorando na coletiva, após o jogo, ao lembrar dele.

“Dudu para mim foi uma referência não só como atleta profissional, como treinador logo depois, mas acima de tudo e principalmente como ser humano. Sempre foi uma pessoa que se preocupou com todos à sua volta e muito pouco com ele próprio. Sempre foi um exemplo para mim, sempre procurei seguir os passos orientados e muito por ele. Um cara que vestiu três camisas na vida: Ferroviária, Palmeiras e Seleção”, iniciou.

O técnico foi além: “Para mim representa muito porque, além da bela história que teve, foi um ser humano que talvez não tenha conhecido igual. Um segundo pai para mim, uma pessoa que praticamente me orientou em todos os momentos da vida, já que segui a mesma profissão que a dele. Tenho certeza que será muito bem recebido pela pessoa que era, muito espiritualizada, fará uma passagem muito tranquila de plano. Na última vez que estive com ele, há uns 20, 30 dias, já percebi que talvez fosse a última”, completou.

Fica a saudade

Olegário Tolói de Oliveira, mais conhecido como Dudu, foi um dos grandes nomes do Palmeiras entre as décadas de 1960 e 1970. Como jogador, sua passagem durou entre 1964 e 1976, mas chegou a ser treinador da equipe depois de sua aposentadoria, conquistando o Paulistão de 1976.

No período como atleta com a camisa do Maior Campeão Nacional, entrou em campo em 615 jogos, marcando 29 gols. Ele conquistou o Torneio Rio-São Paulo de 1965, o Paulistão de 1966, 1972 e 1974 e o Brasileirão de 1967 (Torneio Roberto Gomes Pedrosa), 1967 (Taça Brasil), 1969, 1972 e 1973.

Reações da torcida sobre a partida do ídolo”}]]