Presidente do PL afirma que partido é contra o Projeto dos Jogos de Azar

Projeto de Lei permite bingos, cassinos e jogo do bicho no território brasileiro.



ReadyNow

Brasilia.- Valdemar Costa Neto, presidente nacional do PL, afirmou à CNN que o partido do ex-presidente Jair Bolsonaro se opõe à aprovação do projeto de lei sobre Jogos de Azar no Senado Federal. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), discutirá nesta terça-feira (2), em reunião com líderes partidários, a decisão de incluir a proposta na pauta do plenário.

“Nós estamos contra a aprovação dos jogos”, disse o dirigente partidário.

Pacheco decidiu que o projeto não passará por comissão especial. Lula mencionou que provavelmente sancionará o projeto se aprovado pelo Congresso. Na Comissão de Cidadania e Justiça (CNJ), senadores do PL se opuseram ao texto, mas recebeu apoio de figuras como Sérgio Moro, Ciro Nogueira e Teresa Cristina, da oposição.


Com a evolução do comércio eletrônico, PayRetailers inova para revolucionar o mercado de pagamentos - Startups
Avante NetWork - Casino Affiliate Platform | LinkedIn

iGaming & Gaming International Expo - IGI

O Palácio do Planalto monitora votos e espera ter maioria para aprovar a iniciativa que permite bingos, cassinos e jogo do bicho no Brasil. O relator do projeto, senador Irajá Filho (PSD-TO), prevê que a legalização dos jogos de azar poderá gerar uma arrecadação de R$ 22 bilhões ao longo do tempo.

Veja também: Presidente do Senado indica votação do PL dos Jogos de Azar após recesso parlamentar

Projeto de Lei permite bingos, cassinos e jogo do bicho no território brasileiro.

Brasilia.- Valdemar Costa Neto, presidente nacional do PL, afirmou à CNN que o partido do ex-presidente Jair Bolsonaro se opõe à aprovação do projeto de lei sobre Jogos de Azar no Senado Federal. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), discutirá nesta terça-feira (2), em reunião com líderes partidários, a decisão de incluir a proposta na pauta do plenário.

“Nós estamos contra a aprovação dos jogos”, disse o dirigente partidário.

Pacheco decidiu que o projeto não passará por comissão especial. Lula mencionou que provavelmente sancionará o projeto se aprovado pelo Congresso. Na Comissão de Cidadania e Justiça (CNJ), senadores do PL se opuseram ao texto, mas recebeu apoio de figuras como Sérgio Moro, Ciro Nogueira e Teresa Cristina, da oposição.

O Palácio do Planalto monitora votos e espera ter maioria para aprovar a iniciativa que permite bingos, cassinos e jogo do bicho no Brasil. O relator do projeto, senador Irajá Filho (PSD-TO), prevê que a legalização dos jogos de azar poderá gerar uma arrecadação de R$ 22 bilhões ao longo do tempo.

Veja também: Presidente do Senado indica votação do PL dos Jogos de Azar após recesso parlamentar