Corinthians e António Oliveira não encontraram consenso sobre pagamento de multa rescisória; entenda

Timão também acompanha imbróglio que cerca Ramón Díaz no Vasco

Demandas Alvinegras


O Corinthians vive a expectativa de mudanças que estão prestes a ocorrer no Parque São Jorge. A principal delas é a chegada de um novo treinador, que assumirá a equipe com a missão de promover uma verdadeira reviravolta na situação complicada que marca a equipe na atual temporada.


ReadyNow

Ramón Díaz, ex-técnico do Vasco, está prestes a ser anunciado e vai iniciar sua jornada com aprovação da Fiel Torcida. Porém, o Clube ainda está imerso em uma situação pendente com António Oliveira, treinador que foi demitido recentemente.

Segundo apuração do jornalista Rodrigo Vessoni, do portal Meu Timão, a direção Alvinegra ainda não conseguiu um acerto com o staff do treinador português para o pagamento da multa rescisória do treinador.

A falta de consenso está na forma como o Clube deve pagar Oliveira, que segundo o Uol Esporte, deve embolsar R$ 1,6 milhões por conta do fim antecipado de seu contrato.


Com a evolução do comércio eletrônico, PayRetailers inova para revolucionar o mercado de pagamentos - Startups
Avante NetWork - Casino Affiliate Platform | LinkedIn

iGaming & Gaming International Expo - IGI

Mais uma rescisão pesada

Tal valor contempla o acerto de dois meses de salário que engloba toda comissão técnica do antigo treinador, que era formada por Bruno Lazaroni (auxiliar), Bernardo Franco (auxiliar), Diego Favarin (auxiliar) e Felipe Zilio (analista).

O ano de 2024 está marcado pelo pagamento de duas pesadas multas rescisórias. A primeira, fez com que o Timão desembolsasse R$ 13 milhões para acertar a saída de Mano Menezes.

Já a segunda, foi para bancar a chegada de António Oliveira, pois o Corinthians precisou pagar R$ 1,1 milhão para que o treinador quebrasse seu vínculo com o Cuiabá, como bem explicou Vessoni em sua matéria no portal citado.

Ramón também tem problemas

Além da situação, envolvendo o seu antigo comandante, a direção Alvinegra acompanha de perto o caso de Ramón Díaz com o Vasco. Isso porque o treinador não teve sua rescisão anunciada e ainda está registrado no BID como treinador da equipe carioca, a situação que deve se resolvida na Justiça.

O caso é polêmico, pois Ramón e sua comissão, alegam que foram demitidos via redes sociais, com postagem feita pela agremiação Cruz-Maltina, já a direção de São Januário, afirma que tanto o treinador, como seu filho, Emiliano Díaz, pediram demissão no vestiário após uma derrota do Vasco.

[[{“value”:”Timão também acompanha imbróglio que cerca Ramón Díaz no Vasco
Demandas Alvinegras

O Corinthians vive a expectativa de mudanças que estão prestes a ocorrer no Parque São Jorge. A principal delas é a chegada de um novo treinador, que assumirá a equipe com a missão de promover uma verdadeira reviravolta na situação complicada que marca a equipe na atual temporada.

Ramón Díaz, ex-técnico do Vasco, está prestes a ser anunciado e vai iniciar sua jornada com aprovação da Fiel Torcida. Porém, o Clube ainda está imerso em uma situação pendente com António Oliveira, treinador que foi demitido recentemente.

Segundo apuração do jornalista Rodrigo Vessoni, do portal Meu Timão, a direção Alvinegra ainda não conseguiu um acerto com o staff do treinador português para o pagamento da multa rescisória do treinador.

A falta de consenso está na forma como o Clube deve pagar Oliveira, que segundo o Uol Esporte, deve embolsar R$ 1,6 milhões por conta do fim antecipado de seu contrato.

Mais uma rescisão pesada

Tal valor contempla o acerto de dois meses de salário que engloba toda comissão técnica do antigo treinador, que era formada por Bruno Lazaroni (auxiliar), Bernardo Franco (auxiliar), Diego Favarin (auxiliar) e Felipe Zilio (analista).

O ano de 2024 está marcado pelo pagamento de duas pesadas multas rescisórias. A primeira, fez com que o Timão desembolsasse R$ 13 milhões para acertar a saída de Mano Menezes.

Já a segunda, foi para bancar a chegada de António Oliveira, pois o Corinthians precisou pagar R$ 1,1 milhão para que o treinador quebrasse seu vínculo com o Cuiabá, como bem explicou Vessoni em sua matéria no portal citado.

Ramón também tem problemas

Além da situação, envolvendo o seu antigo comandante, a direção Alvinegra acompanha de perto o caso de Ramón Díaz com o Vasco. Isso porque o treinador não teve sua rescisão anunciada e ainda está registrado no BID como treinador da equipe carioca, a situação que deve se resolvida na Justiça.

O caso é polêmico, pois Ramón e sua comissão, alegam que foram demitidos via redes sociais, com postagem feita pela agremiação Cruz-Maltina, já a direção de São Januário, afirma que tanto o treinador, como seu filho, Emiliano Díaz, pediram demissão no vestiário após uma derrota do Vasco.”}]]