VAR justifica lance entre Hugo Moura e Tchê Tchê em Vasco X Botafogo “parte do movimento”

O lado botafoguense saiu muito incomodado com a não expulsão do meio-campista vascaíno que teria prejudicado o time carioca

Empate em clássico carioca


Com gols de Bastos e Vegetti, Vasco e Botafogo ficaram empatados em 1 a 1. O resultado não foi bom para nenhum dos times, pois ambos somaram apenas um ponto e não melhoraram suas situações no Brasileirão Série A.


ReadyNow

O Glorioso subiu para apenas para a segunda posição, chegando aos 24 pontos e não consegui assumir a liderança. Por outro lado, o Almirante também não conseguiu se distanciar da zona de rebaixamento e tem apenas 11 pontos até aqui.

Áudio do VAR no lance

A CBF divulgou o que foi falado pelo árbitro de vídeo Wagner Reway com Ramon Abatti Abel, juiz da partida. O árbitro da partida nem foi chamado para rever o lance na tela de vídeo. Com isso, a decisão de campo foi mantida.

O auxiliar destacou que Hugo Moura e Tchê Tchê dividem a jogada, o jogador vascaíno chuta a bola e na sequência da jogada pega no atleta do Botafogo. A jogada foi entendida como lance de jogo.


Com a evolução do comércio eletrônico, PayRetailers inova para revolucionar o mercado de pagamentos - Startups
Avante NetWork - Casino Affiliate Platform | LinkedIn

iGaming & Gaming International Expo - IGI

“Ele chuta. É o movimento do chute. Está em zona neutra. Teve uma leve torção. Pelo chute, teve uma leve torcida. Faz parte do movimento do chute”, disse o auxiliar.

“Os dois vão com os pés. Ele chuta a bola, faz parte do movimento. Está tudo certo. Os dois vão na disputa, e ele (Hugo Moura) até tira o pé depois. Está tudo certo”, completou Wagner Reway.

Reclamação do treinador botafoguense

Na coletiva pós-jogo, o treinador do Botafogo, Artur Jorge, mostrou toda sua insatisfação com a arbitragem da partida. Ele reclamou do fato do jogador vascaíno não ter sido expulso e isso ter prejudicado a sua equipe.

Vou reclamar também. Vocês têm que fazer essa análise também, acho importante que voltem a tocar naquilo que nos aconteceu frente ao Fluminense. Uma entrada violentíssima hoje no primeiro tempo no Tchê Tchê”, reclamou o técnico.

“Obrigou-me a tirá-lo no segundo tempo, está com uma ferida aberta, e eu não sei quando vou tê-lo à disposição de novo para jogar”, encerrou Artur Jorge.

Reclamações nas redes sociais

[[{“value”:”O lado botafoguense saiu muito incomodado com a não expulsão do meio-campista vascaíno que teria prejudicado o time carioca
Empate em clássico carioca

Com gols de Bastos e Vegetti, Vasco e Botafogo ficaram empatados em 1 a 1. O resultado não foi bom para nenhum dos times, pois ambos somaram apenas um ponto e não melhoraram suas situações no Brasileirão Série A.

O Glorioso subiu para apenas para a segunda posição, chegando aos 24 pontos e não consegui assumir a liderança. Por outro lado, o Almirante também não conseguiu se distanciar da zona de rebaixamento e tem apenas 11 pontos até aqui.

Áudio do VAR no lance

A CBF divulgou o que foi falado pelo árbitro de vídeo Wagner Reway com Ramon Abatti Abel, juiz da partida. O árbitro da partida nem foi chamado para rever o lance na tela de vídeo. Com isso, a decisão de campo foi mantida.

O auxiliar destacou que Hugo Moura e Tchê Tchê dividem a jogada, o jogador vascaíno chuta a bola e na sequência da jogada pega no atleta do Botafogo. A jogada foi entendida como lance de jogo.

“Ele chuta. É o movimento do chute. Está em zona neutra. Teve uma leve torção. Pelo chute, teve uma leve torcida. Faz parte do movimento do chute”, disse o auxiliar.

“Os dois vão com os pés. Ele chuta a bola, faz parte do movimento. Está tudo certo. Os dois vão na disputa, e ele (Hugo Moura) até tira o pé depois. Está tudo certo”, completou Wagner Reway.

Reclamação do treinador botafoguense

Na coletiva pós-jogo, o treinador do Botafogo, Artur Jorge, mostrou toda sua insatisfação com a arbitragem da partida. Ele reclamou do fato do jogador vascaíno não ter sido expulso e isso ter prejudicado a sua equipe.

“Vou reclamar também. Vocês têm que fazer essa análise também, acho importante que voltem a tocar naquilo que nos aconteceu frente ao Fluminense. Uma entrada violentíssima hoje no primeiro tempo no Tchê Tchê”, reclamou o técnico.

“Obrigou-me a tirá-lo no segundo tempo, está com uma ferida aberta, e eu não sei quando vou tê-lo à disposição de novo para jogar”, encerrou Artur Jorge.

Reclamações nas redes sociais”}]]